Sexta-Feira, 07 de Maio de 2021

Alerta: Contaminação generalizada de educadores de escola estadual em Cuiabá confirma posição do Sintep-MT sobre risco de volta às aulas presenciais

O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) tomou conhecimento, ainda no final de semana (30/01), sobre um surto de Covid-19 entre os trabalhadores que atuam na Escola Estadual Professora Hermelinda de Figueiredo, em Cuiabá. Com a contaminação generalizada entre os educadores, a direção da unidade escolar decidiu suspender as atividades. Segundo o informe, além das atividades internas, estavam sendo realizadas no local a atribuição de contrato dos interinos, que também foi suspensa, passando a ser feita somente por agendamento.

O presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira, destaca que a contaminação dos trabalhadores desta unidade escolar nada mais é do que o reflexo de atos negligentes por parte da secretaria de Educação do Estado (Seduc-MT). “O processo de atribuição de aulas é um exemplo disso, visto que tem sido feito sem nenhum tipo de organização para evitar aglomerações, como foi possível constatar na última semana na escola estadual Liceu Cuiabano”, disse. O dirigente sindical ainda citou outra ocorrência dessa natureza, que foi a audiência pública na escola Nadir de Oliveira em Várzea Grande que foi promovida pela Seduc-MT no início de janeiro, e onde estavam reunidas cerca de 450 pessoas sem nenhum tipo de distanciamento social.

“Sabemos que basta uma pessoa contaminada dentro do ambiente escolar para promover uma contaminação em massa e a Seduc-MT vem sistematicamente dando mau exemplo nessa questão. Esperamos que essa postura irresponsável mude e que a vida dos trabalhadores da Educação e de todos os estudantes seja tratada como prioridade”, disse Valdeir.

Sobre o retorno presencial das aulas

O Sintep-MT é categórico ao defender o retorno presencial das aulas somente após a população ter sido amplamente imunizada.  Para a entidade sindical, a vida deve ser colocada como prioridade, uma vez que o país registra a triste marca de mais de 220 mil mortes pelo novo coronavírus e ainda, com a circulação de uma variante do vírus em plena atividade. “Sabemos que, por inércia e incompetência do governo Bolsonaro, que, ao invés de agir pelo bem do povo, preferiu politizar a vacina, tivemos um atraso ainda maior nesse processo de imunização, no entanto, não podemos arriscar mais vidas retomando as aulas presenciais, já que é impossível que isso seja feito sem expor as pessoas à essa contaminação”, alertou o sindicalista.

Fonte: Assessoria Sintep-MT.

FONTE: https://sintep2.org.br/sintep/exibir.php?exibir=1&id_l=7836

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️