Sexta-Feira, 04 de Dezembro de 2020

Caso Isabele: Amigos e familiares pedem justiça nas redes sociais pela morte de Isabele

Claryssa Amorim
Única News

A morte de Isabele Ramos Guimarães, de 14 anos, completa dois meses neste sábado (12) e, familiares e amigos usaram as redes sociais para pedir por Justiça.

Segundo o inquérito da Polícia Civil, Isabele foi morta com um tiro no rosto pela amiga B.O.C, de 15 anos, dentro do condomínio Alphaville I, em Cuiabá. Ela vai responder por ato infracional por homicídio doloso.

No Facebook e Instagran, amigos e familiares usaram uma foto da Isabele no perfil com a #justiçaporbele. 

O Ministério Público Estadual (MPMT) já pediu a internação da B.O.C, no dia 10 de setembro. O pedido foi assinado pelo promotor Rogério Bravin, da 18ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Cuiabá, que cuida do caso dos menores envolvidos na morte e denunciados pela Polícia Civil: B.O.C. e o namorado dela, G.C.C.

O caso

Bel, como era chamada pelos amigos, foi encontrada morta no dia 12 de julho, no banheiro da casa da família Cestari, com um tiro na cabeça. A autora do disparo é a amiga B.O.C., de 14 anos. Ela alega que o tiro foi involuntário.

O tiro entrou na região da narina e saiu pela nuca. A arma usada foi uma pistola PT .380, que pertence ao sogro da acusada. Em depoimento, o namorado dela afirma que ele não deixou a arma carregada.

O inquérito foi finalizado pela Polícia Civil na quarta-feira (2 de setembro). A atiradora, B.O.C., responderá por ato infracional análogo a homicídio doloso. Ela pode ficar internada em instituição para menores por até 3 anos.

O pai de dela, Marcelo Cestari, foi indiciado por quatro crimes: homicídio culposo, posse ilegal de arma de fogo, entregar arma a adolescente e fraude processual. Para a Polícia Civil, as ações dele foram fundamentais para que o crime acontecesse: ele permitiu que o genro levasse a arma à casa dele; ficou com a arma em casa, mesmo não pertencendo a ele; entregou a arma para que a filha B. guardasse e tentou atrapalhar a investigação, no entendimento da PJC.

O namorado de B., o adolescente G.C.C., 16 anos, vai responder por ato infracional análogo a porte ilegal de arma de fogo. O pai dele, dono das armas, foi indiciado por omissão de cautela, pois deixou que o filho tivesse acesso ao equipamento.

FONTE: https://www.unicanews.com.br/policia/amigos-e-familiares-pedem-justica-nas-redes-sociais-pela-morte-de-isabele/54358

COMPARTILHE ESSE POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️