Sexta-Feira, 18 de Junho de 2021

CPI ascende disputa na Câmara sobre votos decisivos do futuro de Emanuel Pinheiro; Vereador Clebinho Borges garante voto para afastar Prefeito

Kleyton Agostinho Da REDAÇÃO

O “não” do vereador Clebinho Borges no dia 06 de março para evitar a cassação de Abílio Júnior ascendeu uma luz de esperança nos cuiabanos que torcem para que o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro, enfim, tenha seu mandato cassado, ou, pelo menos, afastado do cargo de prefeito por 180 dias.

Embora não presencial, sabe-se que às próximas sessões ordinárias da Câmara de vereadores de Cuiabá prometem ser bastante acaloradas. Isso porque, após 3 anos, a CPI foi concluída e a decisão do futuro do prefeito Emanuel Pinheiro está nos “sins” e nos “nãos” dos 25 parlamentares.

Com Clebinho, conta-se, por hora, 11 votos à favor do afastamento do prefeito por 180 dias, ou seja, 6 meses. O secretário de saúde de Estado Gilberto Figueiredo deve pedir exoneração para votar favorável ao afastamento. São necessários uma maioria simples, ou seja, 13 votos para que Emanuel seja afastado.

O relatório foi aprovado, por 2 votos a 1, para afastar Pinheiro de suas funções e posteriormente abrir uma CPI para cassá-lo. Porém, apenas o afastamento já o tira da cadeira de chefe do executivo, uma vez que, Emanuel conclui o seu mandato em dezembro.

“Foram 3 anos de espera e o prefeito sempre manobrou para que não perdesse o mandato. Mas estou certo que a voz das pessoas vai prevalecer. Há muita corrupção na Educação em licitações, mas, principalmente, na saúde, onde essa ferida mais dói por conta do Coronavírus”, pontuou Clebinho.

Assim, a CPI que investiga recebimento de propina e obstrução de justiça, quando Emanuel ainda era deputado estadual, pediu o afastamento do gestor pelo prazo de 180 dias, e, a criação de uma comissão que pode resultar na cassação do emedebista.

Agora, o relatório sobre o afastamento será encaminhado ao presidente da Câmara, vereador Misael Galvão (PTB), que deve colocar à votação dos demais parlamentares em sessão plenária.

FONTE: https://afolhanews.com.br/?p=6290

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️