Segunda-Feira, 08 de Marco de 2021

Educação em Questão: Doutor em Letras defende Felipe Neto em polêmica sobre literatura nas escolas

Publicados 3 horas atrás 

em 27 de janeiro de 2021

Porinfocoweb

Felipe Neto e Pablo Jamilk

Recentemente, Felipe Neto criticou escolas que forçam adolescentes a leituras complexas, como Alvares de Azevedo e Machado de Assis.  Na opinião do influencer, esses não são autores adequados para adolescentes e forçar a leitura dessas obras faz com que os jovens achem a literatura um saco. O post causou revolta em muitas pessoas nas redes sociais.

No meio de toda polêmica, o doutor em letras Pablo Jamilk saiu em defesa de Felipe Neto. O professor alega que é quase um crime iniciar a vida literária de um aluno no ensino médio pedindo para que ele leia livros complexos como por exemplo ‘O Auto da Barca do Inferno’, de Gil Vicente.https://googleads.g.doubleclick.net/pagead/ads?guci=2.2.0.0.2.2.0.0&client=ca-pub-1145327328577099&output=html&h=280&adk=3350170647&adf=3668074106&pi=t.aa~a.1201015502~i.6~rp.4&w=740&fwrn=4&fwrnh=100&lmt=1611783036&num_ads=1&rafmt=1&armr=3&sem=mc&pwprc=6976118418&psa=1&ad_type=text_image&format=740×280&url=https%3A%2F%2Fwww.vozmt.com.br%2Fvariedades%2Fdoutor-em-letras-defende-felipe-neto-em-polemica-sobre-literatura-nas-escolas%2F&flash=0&fwr=0&pra=3&rh=185&rw=740&rpe=1&resp_fmts=3&wgl=1&fa=27&adsid=ChAIgLvEgAYQ0vbrhPGIkptFEkgAdUp0swMqwmiELF_QaRsphkY6L2TglK8STcrvWD4rw23OJE_m_IxTyYHjkpgMuANcMWtbHaEh5jwIITNKoafmDdh5OPKEAKE&dt=1611783036580&bpp=6&bdt=5932&idt=-M&shv=r20210121&cbv=r20190131&ptt=9&saldr=aa&abxe=1&cookie=ID%3D2e20d238580a7e93-22f8025075b80076%3AT%3D1607127734%3ART%3D1607127734%3AS%3DALNI_MbiXQf5ampCY1Jrw2d39NCh-Yt3ug&prev_fmts=320×250%2C1200x280%2C0x0&nras=2&correlator=914696219971&frm=20&pv=1&ga_vid=2010356353.1607124107&ga_sid=1611783035&ga_hid=348252270&ga_fc=0&u_tz=-180&u_his=50&u_java=0&u_h=768&u_w=1366&u_ah=728&u_aw=1366&u_cd=24&u_nplug=3&u_nmime=4&adx=155&ady=1879&biw=1349&bih=600&scr_x=0&scr_y=553&eid=21066435%2C21068769%2C21068944&oid=3&pvsid=416551116939970&pem=471&ref=https%3A%2F%2Fwww.vozmt.com.br%2F&rx=0&eae=0&fc=384&brdim=0%2C0%2C0%2C0%2C1366%2C0%2C1366%2C728%2C1366%2C600&vis=1&rsz=%7C%7Cs%7C&abl=NS&fu=8320&bc=31&jar=2021-01-27-16&ifi=3&uci=a!3&btvi=2&fsb=1&xpc=nPtupwo0jx&p=https%3A//www.vozmt.com.br&dtd=182

Para Pablo, há uma grande hipocrisia por parte de quem defende o ensino desse tipo de literatura aos adolescentes, pois a grande maioria dessas pessoas não leem esse tipo de literatura ou leem com uma certa dificuldade.

Você viu?

Ele explica que existem diversas questões que criam um abismo entre o estudante e a leitura desses clássicos, dentre elas a linguagem, a trama, a época de que se fala, o arcabouço cultural do autor e o propósito da leitura, além de questões sociais.

Por exemplo, jovens que vão à escola apenas para comer a merenda, pois não possuem comida em casa, os que passam o dia assistindo TV, jogando na internet, no Youtube, os que fazem aula de judô, inglês, empreendedorismo e violão não conseguem interpretar tranquilamente esses textos. “Empurrar um Casmurro goela abaixo de um aluno do ensino médio é uma batalha de Davi contra Golias, em que Davi não tem braços, atiradeira; está vendado e meio bêbado”, diz Pablo Jamilk.

Segundo o professor, a culpa de tudo isso está na própria língua que sofre mudanças drásticas a cada ciclo de 10 anos (novo léxico, nova forma), o fato de não haver espaço para literatura na TV, o fato de a leitura ser base para questões de prova, não para fruição.

Outro motivo é que os professores de literatura vivem em um mundo afastado daquilo que o aluno vive ou lê. É responsabilidade do professor atualizar-se e ‘traduzir’ a obra, mas poucos o fazem de forma digna. Deve-se parar com a mania de cobrar literatura em vestibular, porque o aluno só “vai ler aquele texto”, porque cai em uma prova e ele precisa da nota. “Sabe o que ele busca, então? Ele busca resumo de livro, afinal, isso permite ler tudo aquilo em menos tempo. Depois, nunca mais vai querer saber daquele texto. A literatura brasileira (de cânone) é extremamente complexa, multifacetada e profunda. Muitos professores formados em Letras que não se aventuram”.

Fonte: IG GENTE

FONTE: https://www.vozmt.com.br/variedades/doutor-em-letras-defende-felipe-neto-em-polemica-sobre-literatura-nas-escolas/

COMPARTILHE ESSE POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️