Sábado, 24 de Outubro de 2020

Efeito Pandemia: Escolas temem falência em massa, caso não retomem atividades este mês

Tarley Carvalho
tarleycarvalho.jor@gmail.com

image
Chico Valdiner / SECOM-MT

Escolas particulares de Cuiabá temem uma falência em massa, caso as aulas presenciais não sejam retomadas ainda este mês. Isso porque, com a pandemia de covid-19 e a suspensão das atividades, pais e responsáveis estão anulando as matrículas de seus filhos e os transferindo para a rede pública. Levantamento feito pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino (Sinepe-MT) apontou que, até o final do mês de junho, as unidades particulares já acumulado 39,86% de evasão. Essa taxa tende a ser muito maior, já que mais de 30 dias se passaram desde o último levantamento.

Além do cancelamento de matrículas, os estabelecimentos alegam ter de enfrentar outro desafio: a inadimplência. Com dados também atualizados até junho, o Sinepe alega um acúmulo de 44%.

Ao Estadão Mato Grosso, o presidente da entidade, Gelson Menegatti, afirmou que a retomada das aulas presenciais, no atual momento, também atende às necessidades dos pais. Isso porque a indústria e o comércio reabriram as portas e a população está desamparada no sentido de com quem deixar seus filhos para ir trabalhar.

Segundo ele, as instituições já estão preparadas para receber seus alunos sem colocá-los em risco de contágio pelo novo coronavírus, como distanciamento entre os alunos e outras medidas de biossegurança.

Até junho, segundo o presidente, 25 unidades escolares já tinham sido fechadas em Mato Grosso, sendo 10 no interior e 15 na Baixada Cuiabana.

Em julho, durante entrevista também à reportagem, Menegatti havia se queixado da falta de políticas para que o Poder Público socorresse os estabelecimentos de ensino. Segundo ele, o setor foi um dos poucos a não ser beneficiado com algum tipo de programa, tendo, inclusive, que contrair empréstimos a taxas altíssimas para manter os compromissos financeiros.

O presidente também informou que pediu uma reunião com o prefeito da capital, Emanuel Pinheiro (MDB), que deverá ser realizada esta semana.

Questionado sobre a expectativa de os pais confiarem em deixar seus filhos irem para a escola, caso as atividades sejam retomadas, Menegatti se mostrou otimista, citando que em Sinop (480 km de Cuiabá) retomou as aulas com presença de 70% do público escolar.

RISCO
Embora crianças não configurem grupo de risco pela idade e não ser maioria do número de casos de pessoas infectadas e mortas pelo novo coronavírus, a Administração Pública teme que a retomada das aulas possa resultar numa segunda onda de contágio. A tese é de que as crianças poderiam ser infectadas e desenvolver a covid-19 de forma assintomática, mas a transmitindo a seus familiares e demais pessoas de sua convivência. O temor é compartilhado em todo o planeta.

A Alemanha reabriu suas escolas na semana passada, mas precisou fechar dois estabelecimentos após a confirmação de casos em alunos e professores.

Em junho, Paris passou por situação semelhante. Duas unidades tinham sido recentemente reabertas quando houve confirmação de covid-19 entre seus alunos e professores.

FONTE https://estadaomatogrosso.com.br/economia/escolas-temem-falencia-em-massa-caso-nao-retomem-atividades-este-mes/10324

COMPARTILHE ESSE POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️