Quinta-Feira, 17 de Junho de 2021

Em Setembro: Cuiabá estuda liberar ensino infantil e creches

A preocupação é que as crianças carreguem o novo coronavírus sem manifestar os sintomas, o que levaria a uma nova explosão de casos

Gabriel Soares

image
Imagem: (Reprodução/Jorge Pinho-Prefeitura de Cuiabá)

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), revelou que sua equipe está trabalhando em um plano para retomada das aulas. Em entrevista realizada no último sábado (25), ele ressaltou que a volta deve ser feita de forma ‘lenta e gradual’, começando por berçários e escolas de educação infantil, o que busca atender aos pais que precisam retornar ao trabalho presencial após a reabertura das atividades não-essenciais.

Pinheiro lembrou que apesar da reabertura do comércio na última semana, as escolas particulares e públicas seguem com as aulas presenciais suspensas devido ao decreto municipal. A preocupação é que as crianças carreguem o novo coronavírus sem manifestar os sintomas, o que levaria a uma nova explosão de casos, como aconteceu na França e na China após a reabertura das escolas.

Há também uma preocupação quanto à situação dos empresários que atuam no setor, que têm registrado alto índice de evasão escolar, principalmente nas creches e berçários.

“Apenas as escolas particulares e públicas estão com suas atividades suspensas pelo decreto municipal até domingo, dia 2 de agosto. Estamos estudando […] a situação muito difícil que está vivendo o berçário e a educação infantil. Está havendo praticamente um colapso econômico do pessoal da iniciativa privada que se dedica à educação infantil e ao berçário”, disse.

A volta das aulas presenciais, se autorizada, só deve acontecer a partir de setembro. Ainda assim, Pinheiro ressaltou que “não é uma promessa”, apenas uma possibilidade que está sendo estudada pela equipe técnica da prefeitura.

REDE ESTADUAL – As aulas presenciais da rede estadual de ensino público não devem retornar antes de dezembro em Mato Grosso. A alta taxa de crescimento no número de infectados e de mortos pela pandemia de covid-19 é o motivo. O planejamento é aplicar as aulas on-line até o mês de novembro, quando a situação será novamente analisada para verificar a possibilidade de retomada das aulas presenciais em dezembro.

De acordo com a apuração da reportagem, quando as aulas forem retomadas presencialmente, as escolas não deverão ter recesso escolar. O objetivo é concluir a carga horária letiva de 800 horas. Uma das preocupações da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) é combater os efeitos da pandemia e programar uma recuperação do tempo perdido ao longo de 2021.

ANO LETIVO – Na quinta-feira passada (23), o Congresso Nacional aprovou a conversão em lei da Medida Provisória que desobriga escolas e universidades de cumprir a quantidade mínima de dias letivos em 2020 devido à pandemia. Contudo, segue mantida a obrigação de cumprir as 800 horas, em qualquer quantidade de dias. O projeto seguiu para sanção presidencial.

FONTE: https://estadaomatogrosso.com.br/politica/cuiaba-estuda-liberar-ensino-infantil-e-creches/9338

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️