Quinta-Feira, 16 de Setembro de 2021

Enem 2020: Só 28 estudantes tiraram nota mil e 87 mil zeraram redação

Em 2019, haviam sido 53 alunos com nota máxima. Queda foi de 47%. Quase três milhões de textos foram corrigidos. Desse total, 87.567 zeraram a prova de redação (3,22%)

PorLAIS OLIVEIRALais Oliveira

Estagiária do O POVO OnlineEmail Bio Social 

Realizado em meio à pandemia de Covid-19 com recorde de abstenção, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 teve 28 estudantes alcançando nota máxima na redação. Foram corrigidos 2.723.583 textos. Desse total, 87.567 zeraram a prova de redação (3,22%). Em comparação com Enem 2019, o índice de alunos com nota mil caiu 47%. Naquele ano, 53 alunos tiraram nota mil e a porcentagem dos alunos que zeraram a dissertação ficou em 4% (143.736).

Em 2020, o motivo mais frequente para a nota zero foi fuga ao tema (0,93%), seguido de cópia do texto motivador (0,46%) e texto insuficiente (0,19%). A redação foi a parte da avaliação que teve melhor nota entre todas as áreas de conhecimento, com média de 588,74. Em 2019, a média na redação foi de 592,9.

Dos 28 alunos com nota máxima no ano passado, 71,4% são mulheres. A organização da prova definiu dois temas, “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira” na edição impressa e “O desafio de reduzir as desigualdades entre as regiões do Brasil” na edição digital. Na reaplicação da prova, o assunto escolhido foi “A falta de empatia nas relações sociais no Brasil”.

O Enem teve 5.523.036 estudantes inscritos para a versão impressa em 2020, mas 51,6% não compareceram. O número foi ainda maior para os 93.079 inscritos na primeira edição do Enem digital, com 68,5% de não comparecimento. Já no exame para adultos e jovens privados de liberdade, no Enem PPL, dos 41.864 inscritos a participação foi de 74,1%.

Questionamento sobre as notas 

Depois da divulgação das notas do Enem 2020 na segunda-feira, 29, muitos estudantes usaram as redes sociais para reclamar da avaliação da redação. Eles utilizaram a tag #revisãodaredação para reivindicar uma nova correção na prova. 

Nessa quarta-feira, 31, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) veio a público explicar como funciona o processo de correção das provas. 

“Os textos dos participantes podem passar por até quatro correções para o cálculo da média final, o que correspondeu, nesta edição, a, aproximadamente, sete milhões de análises dos textos válidos, sem contar as folhas em branco ou com texto insuficiente”, disse a autarquia do Ministério da Educação (MEC).

Ainda de acordo com o Inep, os corretores de redação são selecionados “em um processo rigoroso” e capacitados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), membro do consórcio aplicador responsável por operacionalizar as correções dos textos do exame. “O processo é acompanhado em todas as suas etapas e segue rigorosamente os critérios estabelecidos pelo Inep.”

A nota da redação varia entre 0 e (mil) pontos corrigida por, pelo menos, dois corretores, de forma independente, segundo o Instituto. Cada um atribui uma nota entre 0 (zero) e 200 (duzentos) pontos para cada uma das cinco competências previstas pela prova. 

com informações da Agência Brasil

FONTE: https://www.opovo.com.br/noticias/brasil/2021/04/01/enem-2020–com-alta-abstencao–notas-maximas-na-redacao-caem-47.html

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️