Quinta-Feira, 17 de Junho de 2021

Não ao Auxílio: Governo aciona STF para extinguir voucher a professores

O governo acusa a Assembleia Legislativa de invadir sua competência ao gerenciar a estrutura dos servidores de carreira, além de criar despesas para o Poder Executivo

Tarley Carvalho
tarleycarvalho.jor@gmail.com

O Governo do Estado acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para declarar a inconstitucionalidade da lei estadual n. 11.157, que criou o auxílio de R$ 1.100,00 a professores interinos em Mato Grosso. O governo acusa a Assembleia Legislativa de invadir sua competência ao gerenciar a estrutura dos servidores de carreira, além de criar despesas para o Poder Executivo. O documento também cita que o voucher impactará os cofres públicos em R$ 80 milhões até dezembro, beneficiando 11.176 profissionais, informações que o Parlamento deixou de levantar, segundo o governo. A ação está sob a relatoria da ministra Carmen Lúcia.

“Realmente, no contexto de crise econômica vivenciada no Brasil, potencializada ao extremo em razão da pandemia associada ao covid-19, a determinação de pagamento de auxílio emergencial cujo montante atingirá praticamente R$ 80 milhões de reais é passível de causar severos prejuízos ao Estado de Mato Grosso e comprometer a concretização de inúmeras políticas públicas de extrema relevância, o que impactará a população mato-grossense em sua integralidade”, alega o Poder Executivo.

O Governo cita a invasão de competência sobre o gerenciamento da carreira de servidores porque a lei determina que o pagamento deve ser feito a professores da classe V, categoria inexistente no plano de carreiras do Estado.

Na prática, esse benefício foi criado para socorrer profissionais não concursados, que passaram no processo seletivo do Estado e que assinariam contrato com o governo para lecionar o ano letivo de 2020. Contudo, devido à pandemia de covid-19, milhares não conseguiram assinar o contrato, já que as aulas foram suspensas.

O benefício foi aprovado pela Assembleia Legislativa, de autoria das lideranças partidárias, no mês passado, após várias tentativas frustradas de convencer o governo a assinar contrato com os professores interinos. O projeto, no entanto, foi vetado pelo governador por conter vícios de inconstitucionalidade. Após voltar para a Casa, o texto teve o veto derrubado.

Após a promulgação da lei, o governador Mauro Mendes (DEM) anunciou que pagaria o benefício e que não tentaria derrubá-lo. Agora, um mês depois, o governo mudou de ideia.

Desde que o projeto foi apresentado, foi afirmado que se tratava de texto inconstitucional, já que criava nova despesa para o Executivo. Mesmo assim, o Parlamento continuou com a tramitação.

FONTE: https://estadaomatogrosso.com.br/politica/governo-aciona-stf-para-extinguir-voucher-a-professores/9334

FOTO: Tchélo Figueiredo

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️