Sábado, 31 de Outubro de 2020

Projeto “Oreo Faz de Contos”: Clássicos infantis ganham releituras inclusivas narradas por pais famosos

Projeto “Oreo Faz de Contos” reforça conexão entre a nova geração de pais e seus filhos, com foco em representatividade e responsabilidade social

Atualizado: 12/08/2020 – 17:2010/08/2020 – 21:31

Não existe forma mais bonita e relevante de celebrar o Dia dos Pais do que valorizar a paternidade em todas as suas formas, a partir da conexão real com seus filhos. A Oreo entende essa necessidade e, por isso, criou a campanha “Oreo Faz de Contos”, com releituras de clássicos infantis narrados por pais famosos, que têm em comum a paternidade ativa.

O artista Lázaro Ramos, o Chef Henrique Fogaça e o estilista Alexandre Herchcovitch toparam integrar esse projeto cheio de representatividade e dão vida às histórias “Rapunzel”, “João e o Pé de Feijão” e “O Patinho Feio” sob nova perspectiva, fugindo de estereótipos e repletas de responsabilidade social.

Os contos foram reescritos pelo próprio Lázaro Ramos que, além de ator, é um consagrado escritor de livros infantis. “A gente já está tão acostumado a ler todos estes contos. Mas tem um outro ponto de vista e outras mensagens que a gente também pode trazer”, disse o artista durante a live de lançamento do projeto no Instagram da Oreo.

A ação dá continuidade ao conceito “Continue Brincante”, lançado pela marca este ano e que tem o objetivo de gerar conexão entre a nova geração de pais e seus filhos e apresentar um novo tipo de brincadeira: o recontar de histórias com criatividade e consciência.

As narrações em áudios viraram uma mini coleção de audiobooks no Spotify, que também contam com versões ilustradas em animações nas redes sociais e no YouTube da Oreo. Também é possível recebê-las via link no Whatsapp, para compartilhar com todo mundo!

A primeira história, “Rapunzel”, já está disponível, enquanto “João e o Pé de Feijão” estreia no dia 14 e “O Patinho Feio”, no dia 22.

Inclusão, representatividade e diversidade

Pai de duas crianças, Lázaro explicou, durante a live de lançamento do projeto, que de tanto ler estes contos para seus filhos, já tinha o hábito de fazer algumas adaptações.

Em “Rapunzel”, por exemplo, que nessa nova versão é uma menina preta com belos cabelos encaracolados, o ator e escritor disse ter se inspirado na relação com sua filha Maria Antônia para recriar a personagem e falar de autoestima.<>slide 5 of 2O Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaO Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaReprodução InstagramNova versão de Nova versão de “João e o Pé de Feijão” teve inspiração na relação do Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaDivulgaçãoO Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaO Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaReprodução InstagramNova versão de Nova versão de “João e o Pé de Feijão” teve inspiração na relação do Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaDivulgaçãoO Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaO Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaReprodução InstagramNova versão de Nova versão de “João e o Pé de Feijão” teve inspiração na relação do Chef Henrique Fogaça e sua filha OlíviaDivulgação

Já em “João e o Pé de Feijão” e “O Patinho Feio”, Lázaro se inspirou nas perspectivas e vivências pessoais dos pais que seriam os narradores desses contos: o chef Henrique Fogaça, jurado no reality MasterChef Brasil, e o estilista Alexandre Herchcovitch, respectivamente.

Responsável por narrar o conto do destemido João em sua cadeira de rodas Aventurosa, Fogaça conta que se identificou muito com a história por se enxergar na relação com sua filha Olívia, que possui uma síndrome genética rara.

Fogaça destacou que o preconceito que o personagem sofre na história por andar de cadeiras de rodas é um dos pontos mais importantes do conto. “As pessoas têm que aprender a ter um olhar diferente para as diferenças”.Alexandre Herchcovitch e seus dois filhos, Fernando e BenCrédito: Reprodução InstagramAlexandre Herchcovitch e seus dois filhos, Fernando e Ben

Já Alexandre Herchcovitch destaca a importância da diversidade no conto de “O Patinho Feio”, que vive feliz em sua casa com seus dois pais e não entende o que pode haver de feio simplesmente por ser diferente.

“É maravilhosa essa desconstrução do conto”, destaca o estilista. “Eu, por exemplo, me sentia o Patinho Feio na minha escola. Sofria bullying porque eu era afeminado e eu nem sabia o que era ‘afeminado’ [na época]”.

Os três contos inspirados em três paternidades reais são um convite da Oreo para que outros pais, além de divertirem seus filhos, inspirem-se no conceito “Continue Brincante”! Que tal criar novas histórias para seus filhos se identificarem e se sentirem representados? É só abrir as portas para a imaginação!

FONTE: https://catracalivre.com.br/catraquinha/classicos-infantis-ganham-releituras-inclusivas-narradas-por-pais-famosos/

COMPARTILHE ESSE POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️ por go7.site
⚙️